Todo empresário deve ficar atento com detalhes do dia a dia. Por quê? Dependendo da ação feita, a empresa pode ter perda financeira ou até mesmo ganhar mais dinheiro.

Tais perdas não estão relacionadas apenas aos serviços oferecidos por determinada companhia, mas também com erros que passam despercebidos no cotidiano.

Veja 4 dicas para parar de ter perda financeira.

Tenha um segundo plano de gestão

É o típico plano B: se tudo der errado, o que devo fazer? Faça essa pergunta para si mesmo enquanto empresário e comece a planejar uma segunda opção de gerenciamento.

Evite perda financeira preparando-se para imprevistos

O mercado não consegue calcular quando imprevistos podem acontecer. Alguns acontecimentos podem levar companhias à falência, por isso é importante que você tenha uma poupança voltada para possíveis conflitos futuros.

Sobre finanças, Robert James “Bob” Shiller , economista e escritor norte-americano, o século XXI, necessariamente, demandaria conhecimento para evitar perda financeira:

O sistema financeiro reflete sobre as várias formas de desilusão humana e de sofrimento econômico, visto que se debruça sobre os riscos que podem estar ligados a determinadas probabilidades e cria simultaneamente, para um grande número de pessoas, provisões que reduzem o seu grau de dececção.

Neste sentido, a finança contribui para que os criadores e os inovadores persigam as suas ideias sem terem de assumir todos os riscos e encoraja-os a correrem outros em nome de bons objetivos:

Imaginar o sucesso social e econômico que pode advir de uma nova ordem financeira é difícil porque ainda não vimos esse mundo alternativo. Ainda não vimos que coisas notáveis podem acontecer se eliminarmos todo o medo desnecessário da perda e permitirmos que as pessoas persigam os seus maiores potenciais.

Para defender, neste sentido, a necessidade de estarmos dispostos a experimentar ideias inovadoras de gestão do risco, mesmo que nos pareçam pouco naturais ou inexequíveis, Robert Shiller parte da análise do risco real de grandes declínios da condição econômica de muitos indivíduos, analisa o modo como o uso do progresso tecnológico permite alterar a gestão do risco no futuro e, no núcleo central deste livro, apresenta seis propostas para uma nova ordem financeira com uma série de dispositivos para a sua respetiva implementação.

Uma vez que não podemos ver a prosperidade como algo de garantido, é fundamental que nos recordemos da nossa vulnerabilidade económica em tempos de mudança e saibamos aproveitar as novas capacidades de informação para controlar o risco no século XXI, respondendo atempadamente às oportunidades produzidas por esta nova ordem financeira.

fonte: Shiller, Robert J.. A Nova Ordem Financeira – O Risco no Século XXI. Portugal: Almedina, 2015 – googlebook

Reveja aquilo que deu certo ou não

É indicado que ao final de cada ciclo seja realizada uma análise ou relatório de dados do empreendimento, para ficar pontuado aquilo que funcionou ou não. E atenção: evite repetir o mesmo erro, não vale a pena!

E se alguma coisa sair errado? Calma, isso não será o fim do mundo. Mas é importante que você já tenha elaborado um plano de recuperação para lidar melhor em um momento de crise, além de dirimir sua perda financeira.

Planeje um plano de recuperação!

Isso é algo que você pode construir com a equipe, a partir dos resultados alcançados nos últimos meses e os caminhos mais fáceis para seguir caso ocorra algum imprevisto grave.

Os serviços do TRIBUTUM já estão disponíveis para você!

Nossa plataforma é capaz de fazer a diferença no seu dia a dia. Para saber mais sobre o TRIBUTUM clique aqui!

× Como posso te ajudar?